Internet assiste à 2ª guerra dos browsers

O navegador para a World Wide Web foi um dos grandes responsáveis pela popularização da internet. Ele criou um ambiente amigável para o usuário comum acessar a rede, então utilizada principalmente por universidades e cientistas.
Na década de 1990, o britânico Tim Berners-Lee, do laboratório de física de partículas europeu Cern, desenvolveu o primeiro browser para a WWW.

Primeira guerra
A popularização da internet veio mesmo com o Netscape. O navegador tinha 83% dessa fatia de mercado em 1996, de acordo com dados da Universidade de Ilinois. O Explorer, da Microsoft, abocanhava 10%. A internet contava com 36 milhões de usuários, segundo o IDC. Hoje, segundo a IWS Forecast, são 1,2 bilhão.

Usando táticas de mercado agressivas e embutindo o programa no Windows, Bill Gates virou o jogo em 1998, mas ainda dividia praticamente ao meio o mercado com o Netscape.
Mas, em 2002, o Explorer esmagava a concorrência e detinha, na prática, o monopólio dos navegadores.

Segunda guerra
No mesmo ano, baseado no Netscape, aparece o navegador Mozilla –tocado por uma fundação sem fins lucrativos e por uma comunidade de programadores que aproveitam o código aberto do programa.

Em 2004, o navegador foi reformulado como Firefox; o software começava a ganhar fôlego a cada versão. Algumas funcionalidades, como a navegação por abas, foram copiadas pelo Explorer.

firefox vs ie

A fundação Mozilla tem o objetivo de lançar uma nova versão do Firefox por ano. Para o fim deste ano, está planejado o Firefox 3, que promete mudanças radicais.
Além disso, o navegador surfa na fama de ser mais seguro do que o navegador da Microsoft. Como tem um número bem menor de usuários, suas falhas são menos exploradas por hackers.

A presença do software vem crescendo lenta e continuamente, principalmente desde o ano passado, e hoje tem 15% do mercado de navegadores, contra 78% do Explorer, de acordo com a Net Aplications.

Eu particularmente prefiro o browser da mozilla, pela facilidade de navegação e pela rapidez no carregamento das páginas. Essa diferença é mais gritante para quem usa internet discada.

Usem o Firefox, e sintam a diferença!

[Fonte]

Visite meu novo site:

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *