Mesmo com o grande crescimento do Google Chrome e Firefox, o Internet Explorer ainda consegue “respirar”. De acordo com o estudo realizado pela Net Applications, o browser da